quarta-feira, 15 de março de 2017

CURSO DE PERDAS E LUTO 2017

                                                                  [ATUALIZADO]
Olá a todos os leitores que acompanham meu blog, tudo bem com vocês? Estarei ausente durante alguns dias das postagens (vou tentar postar alguma coisa mas não garanto), pois estarei preparando o curso de Perdas e Luto junto das minhas colegas Priscila Campos e Olívia Barros, a ser realizado aqui em Fortaleza. Estarei ministrando as aulas acerca de Prevenção de Suicídio e seus desdobramentos. Informações abaixo.


quarta-feira, 8 de março de 2017

10 MINUTOS DE PSICOLOGIA #5 ANSIEDADE

Olá vocês que acompanham meu blog, tudo bom? Estamos de volta depois do carnaval com mais um podcast 10 Minutos de Psicologia e o nosso tema de hoje é Ansiedade. Basta apertar o botão "play" laranja, ou baixar para seu dispositivo preferido para ouvir a qualquer hora.





quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

10 MINUTOS DE PSICOLOGIA #4 - GOSTARIA DE SABER MAIS

Olá, estamos de volta com mais uma edição do podcast 10 Minutos de Psicologia. Hoje vamos tirar as dúvidas de pacientes, leitores e curiosos. Envie suas perguntas para o e-mail: psicologia10minutos@hotmail.com



quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

10 MINUTOS DE PSICOLOGIA #3- QUERIA SABER MAIS- DIFERENÇA ENTRE PSICÓLOGO E PSIQUIATRA

Olá leitores do blog, no programa de hoje vamos falar um pouco acerca das diferenças entre psicólogo e psiquiatra.

E QUANDO A PSICOTERAPIA FALHA?

O paciente vai ao psicólogo buscando resolver seu problema, o tempo passa, nada muda. Ele gasta dinheiro, investe seu tempo e não viu mudanças. A psicoterapia falhou? O psicólogo era incompetente ou foi autosabotagem do paciente? No artigo de hoje, vamos falar sobre o que pode acontecer e de que formas a psicoterapia pode falhar.


MAS O QUE É MESMO PSICOTERAPIA?

Eu já devia ter escrito um artigo explicando a psicoterapia e seus desdobramentos a muito tempo, mas não se preocupem, em breve farei isso, aprofundando o tema. Mas agora, vou dar a vocês apenas uma definição breve e mais geral do que é a psicoterapia para que possamos entender como ela funciona.

Existem muitas definições nos livros e manuais de psicologia acerca do que é a psicoterapia, mas eu vou colocar o meu entendimento baseado na maioria delas.

Psicoterapia é um processo de intervenção psicológica onde o psicólogo, a partir do relato do paciente, busca estratégias de intervenção comportamental, identificando padrões mal adaptados de comportamento, assim como dar suporte emocional em situações de perda e sofrimento psíquico, auxiliar no tratamento de transtornos mentais e favorecer o desenvolvimento humano.

Eu diria que 95% dos pacientes que buscam um psicólogo é por conta de algum sofrimento psíquico, conflito, situação problema que atrapalha sua vida e o desenvolvimento de suas atividades cotidianas, enquanto que o restante geralmente são pessoas que buscam o autoconhecimento (muitos estudantes de psicologia e alguns curiosos). 

A psicoterapia é essa "terapia do psicológico", da mente, do comportamento, das ações, das emoções, que procura mostrar ao paciente novas formas de lidar com seus problemas. Ou seja, o psicólogo é o guia, quem percorre o caminho é o paciente. Há no senso comum a falsa ideia que o psicólogo resolve o problema das pessoas, é aí que entra a ideia fundamental desse artigo, os motivos que podem levar a psicoterapia a falhar.


COMO A PSICOTERAPIA PODE FALHAR?

"Esse psicólogo não sabe de nada"
É uma possibilidade você estar lidando com um profissional pouco qualificado, que talvez não tenha o conhecimento técnico científico específico para tratar seu problema ou que não tenha equilíbrio emocional para lidar com seu tipo de sofrimento. Explico. Embora não seja um pré-requisito, é importante todo psicólogo clínico fazer psicoterapia, para cuidar de seus medos, fantasmas, problemas pessoais, de modo a não misturar seu sofrimento com o do paciente que atende. Um exemplo disso: Se eu tenho um conflito doloroso com minha mãe e não resolvo isso em psicoterapia, quando for atender um paciente que relatar o mesmo tipo de situação eu não vou ter a objetividade necessária para ouvir e entender a situação uma vez que vou estar focado lembrando de como minha relação com a mamãe é ruim. Eu já escrevi um artigo explicando como escolher seu psicólogo, você pode ler clicando aqui.


Assim como cada médico tem sua especialidade, nenhum psicólogo é versado em tudo, o conhecimento da Psicologia é muito vasto, então em geral os psicólogos se especializam em áreas específicas. Apesar da psicoterapia ser versátil, podendo ser utilizada para intervenções em diversos contextos, a experiência em cada contexto vai ser diferente e isso conta muito para o sucesso da terapia. Como vou atuar num problema difícil no qual eu não tenho experiência nem conhecimento?


"Eu não vejo mudança, venho toda semana aqui no consultório mas nada acontece. A gente só fala das mesmas coisas"
Esse discurso é de um tipo de paciente que está preso demais a ciclos e repetições de padrões de comportamentos do qual não consegue evitar. O psicólogo identifica esses padrões, apresenta para o paciente, elabora estratégias de mudanças de acordo do a realidade do seu paciente, dá todas as explicações possíveis a ele, mas a mudança não ocorre. Os padrões não são quebrados. O clico continua. Incompetência do psicólogo? Ou seria o paciente que por algum motivo obscuro não consegue mudar ou não quer mudar?

A mudança de comportamento não é algo simples como se imagina. Não acontece apenas sendo explicado como agir, se assim fosse, ninguém precisaria de psicólogo (nem eles existiriam). Pelo contrário, a mudança é dolorosa, assustadora, demorada. Requer uma motivação interna muito forte para acontecer. E nem sempre essa motivação está presente, mesmo o paciente buscando ajuda, ele parece não ter a força de vontade necessária para mover as engrenagens da sua vida. Mudar pode ser assustador, permanecer no sofrimento que já é conhecido pode ser reconfortante.


"Eu vou para a terapia, mas o psicólogo não fala comigo direito, não confio nele para contar tudo"
A confiança, o que chamamos em psicologia de aliança terapêutica, é fundamental para a psicoterapia. Você não tomaria um remédio ou faria uma cirurgia com um médico em que não confia. Com o psicólogo não é diferente, se não há confiança e abertura do paciente para com seu terapeuta a psicoterapia fica estagnada. Além disso a falta de confiança ou uma relação de desconfiança impede que o paciente relate tudo que é essencial para que o psicólogo compreenda a situação, tornando difícil assim elaborar uma estratégia interventiva. Se você não se sente à vontade com o psicólogo que escolheu, com o método dele, mude de terapeuta. Isso nos leva ao próximo ponto...


"Já mudei de terapeuta várias vezes, nenhum consegue resolver meu problema."
Curioso não? Esse paciente teve o azar de só escolher psicólogos inaptos a ajudá-lo, quase como um imã que atrai somente a mesma coisa. Pela lógica, você acha realmente que o paciente só escolheu psicólogos incapazes? As chances são remotas. O que ocorre nesse tipo de caso é o que chamamos em psicologia de resistência, não importa o método, o psicólogo, a teoria utilizada, ele resiste. Em geral é uma atitude inconsciente, em que ele não percebe que está fazendo isso. Mas um bom terapeuta analisando um histórico assim percebe de cara o que está acontecendo, mas não é garantia que possa reverter. Vai depender a aliança terapêutica do qual falamos no paragrafo anterior. Eu já consegui lidar com esse tipo de situação com sucesso algumas vezes, acima de toda a técnica e conhecimento científico é importante que o psicólogo tenha muita humanidade e empatia para ouvir o paciente e ser capaz de ganhar sua confiança.

"Eu faço tudo que o psicólogo me orienta, não falto a terapia. Confio muito nele e sinto que ele tem me ajudado, mas tem coisas que não consigo fazer nem superar."
A psicoterapia não oferece milagres, assim como não existem medicamentos milagrosos. Existem probabilidades em maior ou menor grau de aquilo funcionar, dependendo de uma série de fatores numa equação muito complexa. Mesmo com todo empenho do psicólogo e do paciente algo pode não acontecer, ou talvez demore a acontecer ou talvez somente aconteça anos depois de encerrada a psicoterapia. O paciente deve estar aberto a ver seu progresso, suas conquistas depois que iniciou o tratamento, e não apenas focar naquilo que ainda não conseguiu mudar, pois isto cria uma sensação de fracasso e impotência. A psicoterapia em geral não tem um tempo certo para funcionar ou terminar. Eu já atendi pacientes que evoluíram espantosamente em 3 meses e outros com o mesmo tipo de problemas que demoraram 3 anos para ter mudanças mais significativas. O importante é ter paciência, não atingir todos os objetivos de uma vez só não significa falha.


"Vou desistir, isto não está me ajudando."
É um relato bem comum, geralmente com pacientes que não confiam no trabalho do psicólogo (muitas vezes pela falta de informação mesmo), que são muito ansiosos e esperam mudanças rápidas e visíveis, ou ainda pacientes com a dita resistência, extremamente elevada. Nesse caso não adianta forçar ou insistir, deixe que o paciente tenha seu tempo. A psicoterapia não funciona de forma arbitrária, impositiva, imperativa. Ela é uma parceria entre paciente e terapeuta, por isso não adianta jogar toda a responsabilidade para o psicólogo, afinal, o paciente também deve ser responsável pelo seu esforço e pela sua melhora, ou piora. 

Apresentei alguns relatos de pacientes e desenvolvi as situações a fim de ilustrar a vocês o que pode acontecer nesse processo tão singular que é a psicoterapia. Espero que tenha sido esclarecedor e que possa ajudar vocês a compreender melhor o trabalho do psicólogo.  





quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

PSICONEWS- VITAMINA C NO COMBATE À DEPRESSÃO

Pesquisadores da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) tem estudado a relação do ácido ascórbico, vitamina C, com o modelo de depressão, há pelo menos 10 anos. 

Experimentos demonstraram que o uso da vitamina C em associação a três antidepressivos comuns no mercado potencializou o efeito dos medicamentos em camundongos com sintomas de depressão. Esses aintidepressivos são: fluoxetina, imipramina e bupropiona.


“Os antidepressivos têm muitos efeitos adversos, que são inclusive motivo de abandono do tratamento. Se conseguirmos baixar as doses ao associá-los com um agente sem efeitos colaterais, esta seria talvez uma estratégia terapêutica muito promissora no tratamento da depressão”, relata a pesquisadora Ana Lúcia Severo Rodrigues.

Os estudos provaram que, mesmo quando os antidepressivos são administrados em doses menores do que as que seriam consideradas efetivas, a associação do ácido ascórbico ajuda a reduzir os sintomas de depressão significativamente.

Os pesquisadores afirmam que apesar do progresso do estudo, ainda é preciso fazer testes em seres humanos, e há aí um longo trajeto científico e ético a ser traçado. 

O estudo é importante pois abre as portas para uma nova forma de tratamento da depressão, que afeta bilhões de pessoas no mundo hoje.


Fontes:

http://boasnoticias.pt/vitamina-c-pode-aliviar-sintomas-de-depressao/

http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2016/09/cientistas-estudam-possivel-acao-da-vitamina-c-na-terapia-de-depressao.html

PODCAST 10 MINUTOS DE PSICOLOGIA- #2 QUERIA SABER MAIS

Olá, estamos de volta com mais um podcast 10 Minutos de Psicologia, hoje respondendo perguntas dos ouvintes e dos leitores. Enviem suas perguntas para: psicologia10minutos@hotmail.com